O que? Internet no espaço?

Estamos preparando uma versão de áudio mais elaborada portanto neste post não teremos a mesma.

Desde os primórdios o sonho do homem foi poder voar, conquistar o céu e por causa disso construímos o avião. Através de nossos sonhos alcançamos coisas inimagináveis.

Em 1957 durante a Guerra Fria começou a corrida espacial após o lançamento do primeiro satélite artificial, ou seja o céu não era mais o limite. Queríamos agora dominar o espaço e novamente alcançamos o inimaginável. Pousamos na lua em uma época que não se tinha internet, celular, candy crush e muito mais.

Até hoje algumas pessoas duvidam que foi verdade, existem diversas teorias de como a NASA simulou o pouso.

Desde então a NASA vem investindo no controle espacial, estudos e etc. Nesse mês (Junho/2016) os primeiros passos para a criação de uma rede de internet para todo nosso sistema solar (SSI – Solar System Internet) foram dados. Que? É sério isso?

Sim! É verdade!

Mas a internet não chega nem em casa, como é que vai chegar em Plutão?!

A NASA utilizará um conjunto de protocolos diferentes do que usamos em nossa rede atual (IP). A técnica utilizada se chama DTN (Disruption Tolerant Networking) que é um conjunto de protocolos que tornam possível a comunicação em ambientes de extrema complexidade. Lugares com muita interferência, longos períodos de espera, altas taxas de erros e interrupções de sinal.

Diferente do IP onde o link entre a Origem e o Destino deve estar pre-estabelecido e em caso de falha a Origem precisa enviar novamente o pacote, o DTN possui a um mecanismo de armazenamento-envio. Ou seja, cada “roteador” que receber um pacote DTN armazena-o e somente os envia quando a comunicação entre ele e o próximo (o que chamamos de hop) estiver estabelecida. Dessa forma somente o próximo hop precisa estar disponível para que a transmissão seja realizada.

A técnica também possui funções de gerenciamento, segurança, QoS (Quality of Service) e roteamento assim como a rede IP.

Esses hops na verdade serão bases espaciais e/ou satélites. O primeiro hop dessa tecnologia será a base espacial ISS (International Space Station), tal qual será o ponto de contato entre a Terra e o outros pontos da rede. Confiram um exemplo do diagrama da rede da futura SSI divulgado pela NASA:

SSI com DTN
Diagrama de rede da SSI – NASA

Para a criação desse protocolo a NASA se juntou com o considerado “Pai da Internet” Dr. Vinton G. Cerf e para garantir a aceitação do mesmo, assim como sua padronização, se juntou com órgãos regulamentadores de telecomunicações. Sendo eles; IRTF (Internet Research Task Force), IETF (Internet Engineering Task Force), CCSDS (Consultative Comittee for Space Data System).

Ela também abriu o código (open-source) para qualquer um contribuir com seu desenvolvimento. Essa prática é comummente adotada para ter o auxilio de faculdades ou até mesmo de outras empresas no desenvolvimento da técnica.

Em uma entrevista com a NASA, Dr. Vinton G. Cerf disse que vê um potencial muito grande na utilização dessa técnica nas redes celulares de hoje. Principalmente com a chegada da Internet das Coisas ou IoT.

Se vocês não sabem o que é isso, fiquem tranquilos muito em breve lançaremos uma série de artigos trabalhando esse tema.

Caso queiram conferir o material original da NASA, cliquem AQUI.

Espero que o Brasil aproveite essa técnica e faça nossa internet funcionar direito. O que acham?

Não deixe de nos seguir e curtir!
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *