O que o filme não contou | Review Warcraft [Parte 1]

Warcraft – O Encontre de Dois Mundos foi finalmente lançado e foi simplesmente SENSACIONAL!

O mundo de Warcraft é um mundo extremamente complexo e interessante. Sua origem, personagens e histórias são fantásticas. Trabalhar toda essa complexidade em um filme não seria uma tarefa fácil, de longe seria algo simples, mas com maestria a Blizzard, juntamente com Duncan Jones conseguiram. Eles desenvolveram um lindo roteiro, fluido, cativante e duradouro.

Todos sabem o histórico que os filmes de jogos possuem, ou são completos fracassos ou quando são aceitáveis, não seguem nada da história original. Devido a isso nasceu a maldição dos filmes de jogos, onde nunca na história do cinema um filme de vídeo game seria bem feito.

O estúdio que conseguisse quebrar essa maldição faria história e é exatamente o que a Blizzard fez, mais uma vez. Warcraft é o primeiro filme baseado em um vídeo game que maravilha tanto aos fãs quanto a quem nunca tinha ouvido falar dele. Para quem sabia onde olhar, o filme estava cheio de referências e homenagens aos games e livros.

Nesse review vamos falar das melhores cenas (SPOILERS!!) e fazer paralelos ao UE (Universo Expandido) de Warcraft. Devido a quantidade de informação, vamos dividir o review em partes.

Se ainda não viu o filme e não gosta de SPOILERS, não continue a ler.

OK, mas o que é Universo Expandido?

Explicamos isso em detalhes em nosso review de Star Wars VII, para conferir clique aqui.

O filme começa com uma rápida explicação da razão dos orcs estarem abandonando sua terra natal e como o farão. Nessa cena somos apresentados a diversos elementos importantíssimos da história. Começando com os orcs, a maioria das pessoas quando escutam essa palavra lembram de Senhor dos Anéis, porém rapidamente descobrem que os orcs de Warcraft não são nada como eles. Se nos aprofundarmos um pouco mais nos 7 mares geeks, sabemos que os orcs de Senhor dos Anéis são na verdade elfos corrompidos, distorcidos por magia negra. Já os orcs de Warcraft são uma raça, com uma cultura super bem definida e não somente bestas descontroladas.

Eles são divididos em diferentes clãs, cada um com seu líder (chieftain) e possuem tradições extremamente rigorosas. Qualquer quebra dessas tradições, o orc é considerado sem honra e exilado de seu clã e terras. Cada líder tem uma visão de como seu clã deve funcionar, portanto juntar todos esses clãs em uma única força de batalha (a Horda) não é nada simples. O fato de Gul’dan o orc feiticeiro ter conseguido, demonstra sua inteligência e habilidade de manipulação, além é claro de presenciarmos seu poder. Uma outra questão importante dos orcs é que eles são extremamente ligados a natureza e sua conexão com a magia é através do shamanismo e não pela feitiçaria, ou seja, antes de Gul’dan todos os orcs com poderes mágicos eram Shamans. Isso é demonstrado um pouco na conversa de Durotar com Orgrim quando o mesmo decide que Gul’dan deve ser tirado do controle da Horda.

Todos esses detalhes são muito bem trabalhados no livro The Rise of The Horde escrito por Christie Golden (que por um acaso esteve na Comic Con Experience em 2014).

Além disso, no livro trabalha a origem dos Draenei (aquela raça azul aprisionada que foi usada para a abertura do Portal). Portanto se você ficou curioso a respeito deles, já sabem aonde encontrar mais informações. Futuramente essa raça será bastante importante em Azeroth.

Como todo filme, houveram algumas mudanças da história em relação ao livro. Porém as mesmas existem para adaptar a história corretamente ao tempo de filme. Não prejudicaram de modo algum a os futuros acontecimentos. Uma das mudanças iniciais é que os orcs no livro não foram corrompidos pela magia de Gul’dan e sim por beber o sangue de um demônio chamado Mannoroth. Ele os convence que bebendo seu sangue ficarão ainda mais fortes e terão o poder necessário para derrotar os Draeneis.

Mannoroth The pit Lord
Mannoroth – O senhor das profundezas

Demônio??? Tem demônio em Warcraft?

Sim, o inimigo supremo de toda forma de vida do mundo de Warcraft é a Legião Ardente (Burning Legion), formada por um exército gigantesco de demônios. O líder dessa legião é um demônio muito antigo chamado Sargeras.

Em todos os mundos (Sim Warcraft possui um conceito de múltiplos mundos) que o mesmo passa, ele o destrói e transforma os habitantes em demônios anexando-os à seu exército. Porém quando o mesmo chega à Azeroth, encontra uma fortíssima resistência e é impedido. Essa resistência foi o 1º guardião (na verdade 1º guardiã). No filme encontramos a 1° guardiã dentro daquele cubo negro em Kirin Tor a cidade da ordem dos magos. Em sua luta contra Sargeras, a guardiã estava grávida de Medivh (guardião apresentado no filme) e antes de ser derrotado Sargeras transfere parte de sua essência a ele. Por essa razão ele consegue controlá-lo para ajudar os orcs a invadir Azeroth. A ideia do Senhor dos Demônios era enfraquecer os humanos o suficiente para quando seu exército chegasse a resistência fosse mínima.

As informações sobre essa luta e a história de Medivh são apresentadas no livro The Last Guardian, escrito por Jeff Grubb. 

Deu para entender o por que eles mudaram? Já penso explicar isso tudo? Ia precisar de mais 2 horas de filme.

É possível notar também a grandiosidade da trama e história, não é mesmo?

E com isso encerramos a primeira parte do review! Iremos trazer muito mais informações sobre os personagens e cenas do filme. Falaremos um pouco mais sobre a terra natal dos orcs, o portal e muito mais, portanto continuem ligados.

Iae o que acharam? Ficou alguma dúvida sobre o que falamos aqui? Comentem!

Total Views: 16901 ,
Não deixe de nos seguir e curtir!
0

8 comentários sobre “O que o filme não contou | Review Warcraft [Parte 1]

  1. Na verdade, a mulher a quem você se refere, Aegwynn, não foi a primeira Guardiã. O Primeiro Guardião foi Alodi, um elfo, que no filme é retratado como uma entidade em forma humana (ou élfica, não deu pra identificar), que remonta os tempos antes do Kirin Tor. Ele foi o Primeiro. A história que você se referiu sobre a batalha contra o avatar do Sargeras de fato aconteceu, mas não com Alodi e sim com a mãe de Medivh, Aegwynn. Ela foi a Guardiã antes do Medivh, e entregou seu filho para que seu pai, Nielas, cuidasse dele, entende?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *